Plano odontológico: vale a pena contratar?

Contratar um plano odontológico ou pagar por consultas particulares: veja qual a melhor opção para você.

A nossa saúde bucal merece tantos cuidados como o restante do nosso corpo e todos nós sabemos como é importante manter um sorriso saudável e bonito, pois o nosso sorriso é o nosso cartão de visitas. Para mantermos esse cuidado são necessárias visitas regulares ao dentista, e aí cabe a questão: vale a pena contratar um plano odontológico ou é melhor pagar por consultas particulares?

Para responder essa questão vários fatores devem ser levados em consideração, como as suas necessidades, quantas vezes você vai ao dentista e as coberturas que os planos oferecem.

A necessidade de ir ao dentista

Ir ao dentista apenas em casos de dor pode não ser a melhor coisa a se fazer já que uma má mastigação ou mesmo uma mordida errada podem resultar em dores de cabeça ou até problemas cardíacos. Um check-up periódico pode ajudar a prevenir o mau hálito, cáries e outras doenças.

Evitar as doenças provenientes do pouco cuidado com a boca podem diminuir gastos maiores futuramente em longos tratamentos, e além de manter a saúde do corpo o cuidado com os dentes pode estar diretamente ligado com a nossa auto estima, pois a boa aparência é uma boa maneira de ficar bem consigo mesmo.

Existem alguns casos em que as visitas ao dentista devem ser mais freqüentes, como as crianças, que ainda estão em formação dentária, fumantes ou pessoas que necessitam corrigir a linha do sorriso. Como pudemos ver, nem sempre temos total ciência das nossas necessidades, em todo caso é importante manter uma periodicidade nos cuidados bucais.

Coberturas dos planos odontológicos

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), órgão que regulamenta no Brasil o mercado de saúde suplementar, estipula uma cobertura mínima que os planos odontológicos são obrigados a oferecer, entre os procedimento cobertos estão a periodontia (tratamento da gengiva), endodontia (tratamento de canal), tratamentos de prevenção, consultas, exames (como raios-x) e cirurgias orais menores.

As intervenções estéticas não estão incluídas neste rol mínimo de procedimentos, mas apesar disso, alguns planos odontológicos oferecem cobertura, por exemplo, para clareamento e tratamento ortodôntico. Essas coberturas extras podem ser mais facilmente incluídas nos planos odontológicos empresariais, acarretando é claro, um custo um pouco maior.

Na ponta do lápis

Assim como nos planos de saúde, os planos odontológicas aplicam carências para a realização de determinados procedimentos. É importante saber previamente quanto tempo terá que se esperar para poder utilizar o plano, principalmente se você estiver necessitando de um tratamento urgente.

É interessante verificar qual a regularidade das suas visitas ao dentista para saber se vale a pena contratar um plano. Em todo caso os planos odontológicos não possuem diferenças de preços por idade como os planos de saúde e a mensalidade é bem acessível e fixa, o que permite que você realize uma previsão orçamentária durante todo o ano e as preocupações com o custo dos tratamentos são eliminadas.

Ficou com alguma dúvida? Conte nos comentários.

Quer receber mais conteúdos interessantes como esses?

Cadastre-se para receber nossos conteúdos por e-mail!